Joanete do Pé (Hálux Valgo)


Caracterizada por uma deformação que acontece quando os ângulos dos ossos do dedão do pé começam a entortar, o joanete pode ir além do problema estético e apresentar também quadros de dor, inchaço e inflamação.


Predominante no público feminino, o joanete é um incômodo que usualmente era relacionado ao uso do salto alto. Porém, estudos recentes ligaram este tipo de lesão à pré-disposições genéticas e outros sinais, como mau alinhamento de articulações (já visíveis no nascimento) e não ao uso do calçado, visto apenas como um possível agravador do problema.


Geralmente o diagnóstico do joanete é realizado clinicamente e o raio-x pode auxiliar na confirmação do problema, que é progressivo.


Como formas de tratamento são indicadas medidas conservadoras, como o uso de calçados mais largos (sem saltos) e fisioterapia no caso de processos inflamatórios. Uso de medicação, afastadores de dedo e silicones só servem em um número reduzido de casos e proporcionam alívio temporário. Em casos mais acentuados, o procedimento cirúrgico para correção do grau do desvio é o mais indicado.



Em longo prazo, se não tratado, o joanete pode trazer complicações por conta do desequilíbrio causado na base do nosso corpo, os pés. Tendinite e bursite são consequências comuns da falta de tratamento adequado.












Como funciona o tratamento?


• Primeira consulta: elaboração do diagnóstico; caso necessário radiografia normal do pé. Aconselhamento sobre o tratamento adequado.

• Se houver necessidade de uma correção cirúrgica, esta é feita em regime de internação hospitalar e a anestesia geralmente é a raquidiana. O paciente dorme e não sente dor.

• Uma hora após a cirurgia o paciente já está liberado para casa com retorno agendado para o dia seguinte.


Depois da intervenção cirúrgica ficam cicatrizes visíveis?


Sim, mas são pequenas. As cicatrizes são sempre avermelhadas no início, mas clareiam no decorrer de um ano. Durante este tempo as cicatrizes expostas ao sol deverão ser protegidas com uma boa camada de protetor solar.


Qual a hora certa de iniciar o tratamento?


O princípio da medicina é: quanto mais cedo melhor. A correção cirúrgica de uma deformação ligeira é muito mais fácil de realizar do que em casos mais avançados, nos quais toda a operação se torna mais dispendiosa e complicada.


Também por razões estéticas é recomendável que a correção seja feita cedo, pois desta forma pode-se atingir mais facilmente um bom resultado visual.


Quanto tempo demora uma cirurgia do joanete?


Independentemente do tipo de anestesia utilizada, a operação demora cerca de uma hora. Isso depende também do método utilizado, da extensão e da antiguidade da deformação.


Há dor no pós-cirúrgico?


Pode ter um pouco de dor no pós-operatório, mas que costumam ceder com analgésicos comuns.


Posso andar logo após a cirurgia?


Sim. Logo após a intervenção o paciente recebe um sapato especial para que o pé enfaixado possa caber no mesmo. Desta forma pode andar imediatamente, desde que o local operado não tenha de suportar o peso total do corpo.

A maioria dos pacientes já se habituou a andar assim antes da operação, dado que o local do pé agora operado lhes causava dor.


Quanto tempo de repouso antes de retornar ao trabalho?


Se tiver um trabalho em que tenha de andar muito ou carregar peso, é necessária uma pausa de cerca de 1 a 2 meses. Caso o trabalho seja em escritório (sobretudo sentado) e tiver oportunidade de apoiar o pé num banco, pode-se voltar normalmente já no início da segunda semana.


Os dois pés podem ser corrigidos ao mesmo tempo?


Sim, mas apenas nos casos em que seja mesmo necessária a correção do joanete de ambos os pés e em que o paciente seja suficientemente jovem para poder andar durante um certo tempo (3-4 semanas) de maneira tal que não sobrecarregue as zonas operadas com o peso do corpo.


Caso contrário só deverá ser corrigido um pé; o outro poderá então ser corrigido cerca de 3 meses mais tarde.