Hérnia de Disco tem cura?


Embora o diagnóstico de hérnia de disco possa parecer sério e assustar muitas pessoas, a verdade é que a maior parte delas consegue retomar uma vida normal em poucas semanas, sem necessidade de cirurgia. Um diagnóstico preciso e um tratamento adequado ajudam nessa rápida recuperação.


O que é uma hérnia de disco?

Os discos intervertebrais, como o próprio nome sugere, estão localizados entre as vértebras da coluna e são formados por um núcleo mole e um anel periférico, que ajudam a absorver os impactos diários sofridos pela coluna. 



Quando nos referimos ao termo "hérnia de disco" queremos dizer que essa estrutura discal, responsável pelo amortecimento das vertebras, saiu do lugar.


Esse deslocamento pode comprimir os nervos da coluna e causar dores intensas ao paciente.






Os discos deslocados (ou herniados) geralmente são causados por esforço excessivo ou trauma. Entretanto, alguns pacientes podem desenvolver hérnia de disco devido ao envelhecimento natural da coluna ou fatores genéticos. 


Principais sintomas

- Dor nos braços, ombros ou pernas, dependendo do local da hérnia; - Prostração e sensação de formigamento; - Sensação de fraqueza por causa dos músculos das costas atingidos pela hérnia de disco.






Opções de tratamento

Exceto nas formas raras de hérnia de disco que causam perturbações do controle urinário e intestinal, o tratamento inicial deve ser sempre conservador, podendo incluir para além do repouso: analgésicos, anti-inflamatórios, relaxantes musculares ou infiltrações. 



Caso o paciente não consiga retomar seu estilo de vida normal entre a quarta e a sexta semana, a cirurgia pode ser uma opção, tendo uma taxa de êxito superior a 90% no alívio da dor. Já existem algumas soluções de cirurgia minimamente invasiva que, em casos específicos, podem permitir o tratamento com um internamento hospitalar de poucas horas. 


Em que consiste o tratamento médico?

Habitualmente o tratamento inicia-se por um rápido período de repouso associado à medicação considerada adequada pelo seu médico. O repouso na cama deve ser curto e complementado por alguns movimentos de estiramento e modificação postural. É importante retomar tão rapidamente quanto possível alguma atividade, de modo a iniciar um programa de educação e treino físico.


Os analgésicos anti-inflamatórios, além de aliviarem a dor também reduzem a inflamação  associada a hérnia de disco, porém não devem ser usados sem controle médico, devido aos seus efeitos laterais.


Tome só a medicação prescrita e não aumente as doses para conseguir uma melhoria mais rápida.


Os tratamentos clínicos (ultrassons, estimulação eléctrica, calor, frio) podem também ser úteis nesta fase, assim como trações vertebrais e técnicas específicas de manipulação. 

As infiltrações do nervo consistem numa injeção de anestésico e anti-inflamatório junto ao nervo para conseguir reduzir a inflamação e aliviar a dor. São úteis em alguns casos de dor particularmente intensa e resistente ao tratamento médico, devendo ser efetuadas em ambiente hospitalar com todo o controle radiológico e por um médico treinado neste tipo de técnica. As infiltrações devem estar incluídas em um programa mais vasto de tratamento e reabilitação. 


Quando o tratamento conservador falha, a cirurgia pode ser uma opção. Uma vez que a causa da dor é a compressão do nervo pelo tecido herniado, o objetivo da cirurgia é remover esse tecido da proximidade do nervo atingido.  Existem vários métodos cirúrgicos com excelentes resultados e poucos riscos de complicação.


A dor pode voltar a longo prazo?

A recorrência da dor pode ocorrer quer nos doentes submetidos a tratamento conservador quer nos doentes operados (5 a 10% neste caso).


No entanto a cirurgia é só o primeiro passo da recuperação, dependendo do próprio paciente os passos seguintes. A recuperação será bem mais rápida e evitará novas crises se o paciente for capaz de introduzir alterações em seu estilo de vida.


São imprescindíveis o controle do peso (para evitar sobrecarga da coluna), as posturas corretas durante as atividades profissionais e de lazer e um programa regular de caminhada e exercício físico.